Código da Fifa aponta CBF responsável e punições como multa e pontos perdidos

Confederação deve ser alvo de processo disciplinar por confusão antes de Brasil x Argentina

Briga entre torcedores argentinos e a policia no estádio do Maracanã antes de Brasil x Argentina – Eduardo Anizelli – 21.nov.21/Folhapress

Folha de São Paulo

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) deverá responder a um processo do Comitê Disciplinar da Fifa (Federação Internacional de Futebol) como responsável pela segurança do estádio do Maracanã, palco da partida em que a Argentina venceu o Brasil por 1 a 0, na terça-feira (21), pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026, em jogo marcado por uma briga nas arquibancadas antes do apito inicial.

É isso o que prevê a edição mais recente do Código de Disciplina da Fifa sobre competições organizadas pela entidade máxima do futebol mundial, editado neste ano.

De acordo com o documento, a CBF, como associada, é responsável legalmente pelo jogo e por qualquer episódio dentro do estádio, inclusive relativo às questões de segurança.

O código 17, que trata sobre “ordem e segurança nos jogos”, diz que “os clubes e federações mandantes são responsáveis pela ordem e segurança dentro e ao redor do estádio antes, durante e depois dos jogos”, por “incidentes de qualquer tipo”.

O texto também aponta que cabe à federação mandante —neste caso, a CBF— “avaliar o grau de risco de um jogo e notificar a Fifa”, além de “garantir a segurança de jogadores e dirigentes da equipe visitante”.

Em caso de desordem, as punições previstas incluem advertência, multa de 10 mil francos suíços (R$ 55 mil) e partidas sem público ou em local neutro. Em casos mais graves, é possível a dedução de pontos ou a exclusão do torneio.

Para que o processo contra a CBF seja aberto, a entidade máxima do futebol aguarda a súmula da partida, assinada pelo árbitro chileno Piero Maza. Procurada pela reportagem, a Fifa não respondeu aos questionamentos sobre o recebimento da súmula e a abertura do processo disciplinar.

No Instagram, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, escreveu que “jogadores, torcedores, funcionários e dirigentes precisam estar seguros e protegidos para jogar e apreciar o futebol” e também pediu para que “às autoridades competentes garantam que isso seja respeitado em todos os níveis”.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (22), a CBF afirmou que todo o planejamento do jogo foi debatido e aprovado pelo órgãos de segurança do Rio de Janeiro.

De acordo com a entidade, participaram da primeira reunião realizada na sede da Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), na última quinta (16), representantes de vários órgãos da segurança pública, como a Polícia Militar do Rio e a Sepol-RJ (Secretaria Estadual de Polícia Civil do Rio).

“Os planos de ação e segurança foram aprovados sem qualquer ressalva ou recomendação pelas autoridades presentes”, escreveu a CBF.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese