São Paulo e Santos empatam clássico e continuam em dificuldade no Brasileiro

Resultado é ruim para os dois times, que permanecem perto da zona de rebaixamento

O atacante Marinho, do Santos, tenta escapar da marcação do zagueiro Miranda, do São Paulo, no estádio do Morumbi – Santos FC/Divulgação

Por Folhapress

Luciano Trindade

SÃO PAULO

São Paulo e Santos empataram por 1 a 1, na noite de quinta-feira (7), no primeiro clássico do Campeonato Brasileiro realizado com público. Apesar da novidade da presença dos torcedores (em número reduzido), os times mantiveram o nível que vêm apresentando e não conseguiram espantar a má fase triunfando sobre um rival.

Numa noite fria na capital paulista, com os termômetros marcando 16º C durante boa parte do duelo, as equipes conquistaram apenas um ponto cada uma e permaneceram na segunda metade da tabela, perto da zona de rebaixamento.

A situação alvinegra é pior. Com 25 pontos, a equipe praiana está na 16ª colocação, dois pontos acima do Grêmio, o primeiro na parte vermelha da tábua de classificação. Os tricolores estão em 14º lugar, agora com 29.

Na tentativa de vencer após três empates seguidos, o São Paulo entrou em campo com quatro atacantes: Luciano, Marquinhos, Rigoni e Calleri. Mas foram os visitantes que saíram na frente, com um gol de Carlos Sánchez, em chute de fora da área, logo aos cinco minutos da etapa inicial.

O São Paulo não mudou sua tática, permaneceu com mais posse de bola e linhas altas até empatar. E conseguiu em uma cobrança de pênalti, marcado por Raphael Claus —que foi chamado pelo VAR (árbitro de vídeo) e constatou um desvio de Vinicius Balieiro com o braço.

Calleri e Luciano discutiram para decidir quem bateria. O argentino venceu a queda de braço e empatou o clássico aos 35 minutos. Os dois se abraçaram na comemoração do primeiro gol do camisa 30 após seu retorno ao clube.

Depois de 45 minutos bastante movimentados, os dois times voltaram mais cansados para a etapa final e pouco produziram para sair de campo com a vitória, necessária para reduzir a pressão das torcidas.

No clássico de quinta, só era permitida a presença dos torcedores tricolores. Ele misturaram apoio e cobrança antes de a bola rolar e reencontraram o clima de jogo, nos arredores do estádio, com novidades.

Com eles, também voltaram os vendedores ambulantes, que, além das camisas falsas, vendem agora máscaras por R$ 10. O item é de uso obrigatório dentro das arenas, porém uma grande parte dos presentes nas arquibancadas não usou a proteção durante a partida.

Em alguns pontos, do estádio, apesar do público de apenas 5.529 espectadores, houve aglomerações. Até 15 de outubro, os estádios paulistas poderão recepcionar até 30% da capacidade total —cerca de 19 mil no caso do Morumbi, que comporta pouco mais de 66 mil pessoas.

Antes de a bola rolar, o goleiro Tiago Volpi foi alvo de críticas durante o aquecimento, devido às falhas que cometeu recentemente, sobretudo na queda do São Paulo nas quartas de final da Copa do Brasil.

Com mais um resultado ruim no Nacional, os elencos de São Paulo e Santos vão continuar sendo criticados por suas torcidas.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese