Vasco segura empate com o Athletico, mas segue preocupado com o Z4

Cruz-maltino e Furacão trocaram chances no jogo, mas não conseguiram tirar o zero do placar

Athletico e Vasco não mexeram no placar — Foto: Leandro Amorim/Vasco

O GLOBO

O Vasco não derrubou o tabu de agora 11 jogos sem vencer o Athletico na Arena da Baixada, mas volta para o Rio com um empate em 0 a 0 que, se não é um resultado de forte alívio, é bom competitivamente. Isso porque as equipes fizeram bom jogo no Paraná, neste sábado, pela 35ª rodada do Brasileirão, com chances para os dois lados.

Para o Athletico, que já tinha poucas chances de entrar no G6, o resultado muda pouco. O Vasco, por outro lado, vai à 14ª colocação, com 41 pontos, e segue fora da zona de rebaixamento. Agora, “seca” Cruzeiro e Santos na rodada para não se reaproximar do Z4.

Os desfalques para a partida contra o Corinthians, na terça-feira, em São Januário, são preocupantes. Ramón Díaz não terá Léo, Maicon, Robson Bambu e Marlon Gomes, que levaram o terceiro cartão amarelo. Medel também saiu sentindo um problema muscular e virou dúvida. A formação da defesa virou um grande problema.

O primeiro tempo foi parelho. Com três zagueiros, o Vasco começou com dificuldades em sair da defesa, mas quando escapava, era perigoso. A velocidade de Pec e Vegetti aparecendo como referência foram as armas nas melhores chances. Marlon Gomes também foi peça importante no combate e no ritmo de jogo pelo meio.

Vegetti quase marcou de cabeça na melhor chance cruz-maltina, logo na primeira metade. Canobbio, que recebeu uma bola mal desviada, teve chance de frente para o gol, mas bateu colocado demais e desperdiçou. Antes, Willian Bigode acertou o travessão em falha da defesa vascaína.

No segundo tempo, os donos da casa cresceram. A saída de jogo do Vasco ficou ainda mais problemática e o Athletico começou a criar chances mais claras em suas chegadas.

Na melhor delas, Vitor Bueno recebeu de Madson, girou em cima de Medel e parou em defesaça de Léo Jardim. Lance que posteriormente seria anulado por impedimento. Jardim ainda faria grande defesa em chute perigoso de Fernandinho. Praxedes ainda emendou cruzamento de Piton na “bochecha” da rede na última chance do cruz-maltino, que chegou a enganar visualmente – parte da torcida comemorou como se fosse gol.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese