Coronavírus: Veja 4 perguntas sobre casos assintomáticos da doença.

BBC Word News

O resultado de exames de sangue que mostram se o indivíduo foi exposto ao coronavírus está começando a ver luz.

Achados preliminares sugerem que muitos foram infectados sem saber. Mesmo aqueles que acabam experimentando os sintomas comuns da COVID-19 não começam a tossir ou desenvolver febre no momento em que são infectados.

Este artigo analisa o que é conhecido e desconhecido sobre os casos assintomáticos de coronavírus.

Quão comum é para as pessoas pegar e combater o coronavírus sem saber?

Em geral é comum ter uma infecção sem sintomas. Talvez o exemplo mais famoso seja o de Mary Mallon (Maria Typhoid) que espalhou febre tifóide a outras pessoas sem apresentar nenhum sintoma no início do século XX.

Meus colegas e eu descobrimos que o corpo luta contra muitas infecções sem que a pessoa saiba. Por exemplo quando monitoramos cuidadosamente as crianças quanto ao parasita cryptosporidium, uma das principais causas de diarreia, quase metade das pessoas infectadas não apresentava sintomas.

No caso da gripe, estima-se que entre 5% e 25% das infecções ocorram sem sintomas.

Os sintomas geralmente são apenas um efeito colateral da defesa contra infecção. O sistema imunológico leva pouco tempo para desenvolver essa defesa, motivo pelo qual alguns casos são considerados mais pré-sintomático do que assintomático.

Alguém pode espalhar o coronavírus sem tossir ou espirrar?

Todo mundo está em alerta para gotas que se espalham com tosse ou espirro de um paciente por coronavírus. Há uma grande razão pela qual as autoridades de saúde recomendaram que todos usassem máscaras faciais.

Mas o vírus também se espalha por exalações normais que podem conter gotas com vírus. A respiração normal pode lançar o vírus a alguns metros de distância.

A transmissão também pode vir de superfícies como uma maçaneta de carrinho de compras ou maçaneta de porta que foi contaminada por uma pessoa infectada com coronavírus.

O que se sabe o quão contagioso um paciente assintomático pode ser?

Independente do contexto, se você foi exposto a alguém com covid-19, deve se isolar por 14 dias. Mesmo se você se sentir bem, você corre o risco de transmitir a infecção a outras pessoas.

Altos níveis de concentração de patógenos nas secreções respiratórias foram recentemente descobertos durante o período “pré-sintomático”. Esse período pode durar mais de uma semana antes do início da febre covid-19, e da tosse distinta.

Essa capacidade do vírus de se transmitir sem desenvolver sintomas em seus portadores é essencial para se tornar uma pandemia.

Uma pessoa que passou a infecção sem sintomas pode ter anticorpos para o coronavírus?

A maioria das pessoas desenvolve anticorpos apos se recuperar da covid-19, mesmo aqueles sem sintomas.

Esses anticorpos oferecem proteção contra uma nova infecção, de acordo com o que os cientistas sabem sobre outros coronavírus. Mas no caso do COVID-19, isso permanece desconhecido e ainda não é completamente seguro.

Testes sorológicos recentes na cidade de Nova York indicam que aproximadamente um em cada cinco residentes foi infectado com coronavírus.

Seus sistemas imunológicos combatiam o coronavírus, sabendo ou não que estavam infectados. Aparentemente muitos deles não sabiam.

Quão difundida é a nova infecção assintomática por coronavírus?

Ninguém sabe ao certo e, no momento, qualquer evidência é anedótica.

Isso pode ser explicado com um pequeno exemplo.

Muitos moradores de um lar de idosos em Washington foram infectados. 23 deram positivo. 10 deles já estavam doentes. 10 sintomas mais desenvolvidos. Mas três pessoas infectadas não desenvolveram nenhuma doença.

Quando os médicos testaram 397 pessoas alojadas em um abrigo para sem-teto em Boston, 36% deram positivo para o COVID-19. Nenhum deles se queixou de sofrer sintomas.

No caso de cidadãos japoneses que foram evacuados de Wuhan, na China, que foram testados, 30% dos infectados eram assintomáticos.

Um estudo italiano anterior, que ainda não foi aprovado, descobriu que 43% dos positivos para o coronavírus não apresentavam sintomas.

Mas há algo preocupante: os pesquisadores não encontraram diferença entre quão potencialmente contagiosos são aqueles com sintomas e os que não têm.

Testes de anticorpos realizados em diferentes partes do país acrescentaram outras evidências. Por exemplo, um grande número-entre 10% e 40% dos infectados-não apresentou sintomas.

Casos assintomáticos de coronavírus parecem ser comuns e continuarão a complicar os esforços para controlar a pandemia.

William Petri é professor de Medicina e Microbiologia na Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos. Suas especialidades são doenças infecciosas.

Edição: Willian Petri. Traduzido por Marcos Ranyere Portela da Cunha.

Compartilhe esta notícia!

Atividade Principal: Editor de Jornais Diários Independente. CNAE - 58.12 - 3/01. CNPJ: 33.094.337/0001-64 Empresa: Phbwebcidade. Formação: Pedagogo e Especialista em Psicopedagogia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese