Hamas anuncia a morte de sete reféns, três deles estrangeiros, após ataques de Israel a Jabaliya

Grupo terrorista não informou a nacionalidade das vítimas

Terra arrasada. Palestinos se reúnem junto a uma enorme cratera no campo de refugiados de Jabaliya, no norte da Faixa de Gaza, após um ataque israelense que deixou dezenas de mortos — Foto: Fadi Alwhidi/AFP

O GLOBO

As Brigadas Al-Qassam, braço armado do grupo terrorista Hamas, afirmaram nesta quarta-feira que sete reféns morreram após ataque de Israel ao campo de refugiados de Jabaliya, na véspera. Entre as vítimas estão três pessoas “titulares de passaportes estrangeiros”. A informação foi publicada por meio de um comunicado no Telegram.

As Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) fazem novo ataque ao campo de refugiados de Jabaliya, nesta quarta-feira, segundo o Haaretz. De acordo com a publicação, há relatos de várias vítimas” na localizada situada no norte da Faixa de Gaza. Registros feitos no local, que o jornal israelense teve acesso, mostram fumaça subindo sobre um complexo com vários prédios.

Jabaliya é o maior dos oito campos de refugiados da Faixa de Gaza. Segundo a ONU, cerca de 116 mil refugiados viviam no local antes da guerra, onde também há três escolas geridas pelas Nações Unidas. As unidades de ensino foram convertidas em abrigos para centenas de famílias deslocadas.

Bombardeio e mortes

As forças israelenses tomaram, nesta terça-feira, o centro de comando do Hamas no campo de refugiados de Jabaliya em um ataque que deixou ao menos 50 mortos. Israel alegou que eles eram terroristas, mas o Crescente Vermelho Palestino disse que corpos de ao menos 25 civis foram recuperados no campo.

O Hamas não informou a nacionalidade dos reféns que teriam sido mortos no ataque israelense ao campo de refugiados de Jabaliya.

Segundo os militares de Israel, um comandante do Hamas que participou dos ataques do dia 7 de outubro morreu em Jabaliya. Trata-se de Ibrahim Biari.

Israel diz ter matado mais uma liderança do Hamas responsável por ataques de 7 de outubro — Foto: Reprodução

Biari era comandante do Batalhão Central Jabaliya. De acordo com as autoridades israelenses, Biari foi uma das lideranças do Hamas responsáveis por comandar o ataque terrorista do dia 7 de outubro, que matou mais de mil israelenses e deu início ao conflito.

Segundo as IDF, Ibrahim Biari teria sido um dos líderes por trás do envio de terroristas da Nukhbah, unidade de ‘elite’ do Hamas, para Israel.

Biari atualmente comandava as ações do Hamas no norte da Faixa de Gaza. Em 2004, ele foi o responsável por liderar um ataque terrorista que matou 13 israelenses no porto de Ashdod. Ibrahim Biari também esteve envolvido no disparo de foguetes contra Israel, além de outras ações contra as IDF nos últimos 20 anos.

“A sua eliminação foi parte de um ataque em larga escala contra terroristas e infra-estruturas terroristas pertencentes ao Batalhão Central Jabaliya, que assumiu o controle de edifícios civis na Cidade de Gaza”, afirmam as Forças de Defesa de Israel, em nota. O ataque aéreo também teria destruído bases subterrâneas do Hamas.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese