Máquina de perfuração quebra, e Índia suspende de novo resgate de 41 trabalhadores presos em túnel

Cerca de 41 trabalhadores aguardam ser resgatados desde o dia 12 de novembro

41 trabalhadores estão presos em um túnel no norte da Índia desde o dia 12 de novembro.  Foto: Arun Sankar/AFP

Estadão

Na Índia, as tentativas de resgatar 41 trabalhadores presos em um túnel que desabou no Estado de Uttarakhand, na cordilheira do Himalaia, há duas semanas foram novamente frustradas neste sábado,25.

A máquina de perfuração utilizada na operação quebrou na noite de sexta-feira ao passar por escombros, pedras e metal, forçando as equipes de resgate a trabalhar manualmente para remover os destroços na esperança de chegar aos trabalhadores retidos, mas toda a operação foi interrompida.

É a segunda suspensão das atividades de resgate. A primeira, no último dia 18, se deu por temor de um novo colapso da infraestrutura, após, segundo informações governamentais, um ruído repentino na noite de sexta-feira provocar “uma situação de pânico no túnel”.

Arnold Dix, um especialista que auxilia a equipe de resgate no local,afirmou que não está claro quando a perfuração será reiniciada. Dix disse, ainda, que a equipe de resgate precisaria retirar todo o maquinário e substituí-lo para reiniciar a escavação. Ele não especificou quanto tempo esse processo levaria.

“A máquina está quebrada. É irreparável”, disse ele aos repórteres. “A montanha mais uma vez resistiu à broca (máquina).”

Os trabalhadores estão presos desde 12 de novembro, quando um deslizamento de terra fez com que uma parte do túnel de 4,5 quilômetros que estavam construindo desabasse cerca de 200 metros da entrada. A topografia montanhosa da área tem se mostrado um desafio para a máquina de perfuração, que já havia quebrado duas vezes quando as equipes de resgate tentavam cavar horizontalmente em direção aos trabalhadores presos.

A máquina parou de funcionar após perfurar cerca de dois metros da última extensão da passagem aberta para os trabalhadores saírem do túnel. As equipes de resgate inseriram tubos no canal escavado e os soldaram para servir como passagem de onde os homens seriam retirados em macas com rodas.

Até agora, cerca de 46 metros de tubulação foram instalados, de acordo com Devendra Patwal, oficial de gestão de desastres.

Enquanto isso, uma nova máquina de perfuração usada para escavar verticalmente foi trazida ao local no sábado.

Rescue personnel move a digging machine during rescue operation for workers trapped in the Silkyara under construction road tunnel, days after it collapsed in the Uttarkashi district of India’s Uttarakhand state on November 25, 2023. Indian rescuers brought in a new digging machine on November 25 to open a vertical shaft to free 41 workers trapped inside a collapsed road tunnel for two weeks, after previous effort hit snags just metres from breaking through. (Photo by Arun SANKAR / AFP) Foto: ARUN SANKAR

A escavação vertical é vista como um plano alternativo para chegar aos trabalhadores, e as equipes de resgate já criaram uma estrada de acesso ao topo do morro. No entanto, os socorristas terão de cavar 103 metros para baixo para alcançaras vítimas – quase o dobro da distância do poço horizontal.

As autoridades forneceram aos trabalhadores presos refeições quentes feitas de arroz e lentilhas, depois que as vítimas sobreviveram dias com comida seca enviada através de um cano mais estreito. O oxigênio está sendo fornecido através de um tubo separado, e mais de uma dúzia de médicos, incluindo psiquiatras, estiveram no local monitorando as vítimas.

A maioria dos trabalhadores presos são migrantes de outras áreas do país. Muitas de suas famílias viajaram para o local, onde acamparam durante dias para obter atualizações sobre o esforço de resgate e na esperança de ver seus parentes em breve.

O túnel que os trabalhadores estavam construindo foi projetado como parte da estrada para as estações de Chardham, que conectará vários locais de peregrinação hindu. Alguns especialistas dizem que o projeto, uma iniciativa emblemática do governo federal, irá agravar as condições de fragilidade no alto Himalaia, onde várias cidades são construídas sobre os escombros dos deslizamentos de terra.

Um grande número de peregrinos e turistas visitam os muitos templos hindus de Uttarakhand, e o número aumenta ao longo dos anos devido à construção contínua de edifícios e estradas. /AP

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese