Seduc estuda a possibilidade de não retomar aulas presenciais em 2020.

A Secretaria também analisa o prazo que seria necessário para adaptar as escolas para receberem atividades presenciais.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Por Cidade Verde

As aulas presenciais podem não ser mais retomadas na rede estadual de ensino em 2020. A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) estuda a possibilidade de concluir o ano letivo apenas com aulas remotas, sistema que já vem sendo adotado durante o período de pandemia da Covid-19.

Além do risco de contaminação, por conta da proximidade dos alunos nas aulas presenciais, a Secretaria também analisa o prazo que seria necessário para adaptar as escolas para receberem atividades presenciais. De acordo com o superintendente de Educação Básica, Carlos Alberto Pereira, em alguns casos, esse prazo poderia chegar à 60 dias.

“Estamos em setembro. Quando for autorizado a retornar, precisamos de um tempo para adquirir todos os materiais necessários. Para instalar um protocolo é no mínimo 60 dias, porque ainda precisamos fazer licitações. Vamos voltar em Dezembro? Nesse caso, é melhor continuar remoto, concluir o ano, e trabalharmos para voltar presencialmente no ano que vem”, disse o superintendente ao Cidadeverde.com, ao ressaltar que a decisão ainda não foi tomada. “Estamos construindo todos os cenários e possibilidades”, reforçou.

A possibilidade da volta das aulas presenciais contribuir com uma possível segunda onda de casos da Covid-19 também é avaliada pela Seduc.

“Embora na escola a gente tenha toda a segurança, com os protocolos que serão instalados, a gente não sabe o que vai acontecer da saída de casa até à escola. É melhor a gente investir nas condições remotas, para dar condições para os alunos tenham capacidade de assistir as aulas, do que a gente submeter os alunos a uma situação que pode resultar em internações e levar problema para as famílias. Estamos avaliando tudo isso”, avalia o superintendente de Educação Básica.

Pelo cronograma apresentado pelo governo do Piauí, a volta das atividades presenciais nas escolas deveria ocorrer a partir do dia 22 de setembro, porém a decisão final está a cargo do Comitê de Operações Emergenciais (COE), que ainda não apresentou uma data definitiva.

Recentemente, a Secretaria de Educação, após reunião com entidades e representantes de pais e alunos, chegou a apresentar uma proposta para que os alunos do 3º ano do Ensino Médio fossem os primeiros a retornar às salas de aula, para evitar prejuízos na preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio. A proposta também foi encaminhada ao COE, mas até o momento também não foi oficializada.

De acordo com o superintendente de Educação Básica, Carlos Alberto Pereira, a decisão final sobre a retomada ou não das aulas presenciais na rede estadual de ensino deve ser apresentada até a próxima quarta-feira. “Nos próximos dias, o secretário deve apresentar à sociedade a decisão final”, garantiu.

As aulas presenciais na rede estadual de ensino estão suspensas desde o dia 16 de março, início do pandemia da Covid-19.

Proposta para que os alunos do 3º ano do Ensino Médio fossem os primeiros a retornar às salas de aula, para evitar prejuízos na preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio. 

De acordo com a SEDUC Os alunos do 3º ano do Ensino Médio deveriam ser os primeiros a retornar às salas de aula nas escolas da rede estadual de ensino do Piauí. A proposta tinha sido encaminhada ao Comitê de Operações Emergenciais (COE) após uma reunião realizada na quinta-feira (03), que contou com a presença de gestores da educação, membros da vigilância sanitária, além de representantes estudantis e de pais de alunos.

O objetivo do retorno era evitar prejuízos na preparação para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcadas para o próximo mês de janeiro. A rede particular de ensino também deve ser atingida pela liberação.

O governo do Piauí trabalhava para que o início da retomada das atividades presenciais ocorresse a partir do dia 22 de setembro, mas a proposta ainda deve passar por análise dos membros do COE, e do comitê científico do Consórcio Nordeste.

“A proposta que foi apresentada é a de retornarmos com o 3º ano, com a preparação para o Enem. O COE recebeu todas as informações sobre o planejamento e os protocolos, que já foram elaborados, e ficou de enviar a decisão, a título de sugestão, a governador, que vai decidir sobre a possibilidade de retorno ou não. Isso também depende da análise do comitê científico do Consórcio Nordeste”, explica o superintendente de educação básica da Secretaria de Educação, Carlos Alberto Pereira.

Ainda de acordo com o superintendente, a ideia é que, caso sejam liberadas, as aulas presenciais dos alunos do 3º ano e que fazem a preparação para o Enem devem funcionar como uma espécie de experiência, que vai balizar as decisões sobre a retomada das aulas presenciais das demais séries.

“O 3º ano, se autorizado, entraria como um projeto piloto. Através da análise, vamos fazer ajustes em relação ao distanciamento e também sobre as estratégias de combate ao coronavírus”, destaca.

A Secretaria de Educação estima que, somente na rede estadual, mais de 40 mil alunos devem ser beneficiados com volta das aulas presenciais de preparação para o Enem. São 27 mil que estão concluindo o ensino médio regular, 12 mil alunos que estão na última etapa da Educação de Jovens e Adultos, que também estão aptos a fazer a prova; e cerca de 4 mil estudantes do 3º ano do ensino médio técnico, que também podem participar do Exame.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese