Justiça põe em liberdade PM acusado de matar policial civil em Parnaíba

O juiz Dioclécio Sousa avaliou que os elementos apresentados pela acusação “não são suficientes para autorizar a excepcionalidade de manutenção de um decreto prisional”. Justiça tinha decretado a prisão preventiva no último dia 10.

O Policial Civil Alexsandro Cavalcante Ferreira foi assassinado a tiros em Parnaíba, no Piauí — Foto: Reprodução
O Policial Civil Alexsandro Cavalcante Ferreira foi assassinado a tiros em Parnaíba, no Piauí — Foto: Reprodução

Fonte: G1

O juiz Dioclécio de Sousa da Silva, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Parnaíba, concedeu habeas corpus ao policial militar Valério de Sousa Caldas Neto. Ele é acusado de matar a tiros o policial civil Alexsandro Cavalcante Ferreira no dia 12 de setembro.

Há cerca de 15 dias, a juíza Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Parnaíba, havia decretado a prisão preventiva do policial militar, que já estava preso temporariamente. Contudo, em nova decisão, considerou-se que não há necessidade da manutenção da prisão.

O juiz Dioclécio Sousa avaliou que os elementos apresentados pela acusação “não são suficientes para autorizar a excepcionalidade de manutenção de um decreto prisional, quando ausentes quaisquer informações de possível intento do paciente em desvencilhar a instrução criminal e nem mesmo que a permanência dele ao meio social oferecerá alguma periculosidade”, diz a decisão.

O crime aconteceu em Parnaíba, litoral do Piauí, onde o acusado estava preso temporariamente. A prisão temporária foi prorrogada uma vez e, no último dia 10, a juíza decretou que o PM ficasse preventivamente preso.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese