Ciro Gomes vira réu por chamar Damares Alves de ‘bandida nazifascista da quadrilha do Bolsonaro’

Ação foi aberta pela então ministra da Mulher do governo de Jair Bolsonaro por declaração do pedetista em entrevista a um canal no YouTube; Ciro Gomes não se pronunciou

Senadora Damares Alves (Republicanos-DF) apresentou queixa contra Ciro Gomes (PDT) Foto: Dida Sampaio/Estadão

Estadão

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) virou réu pelos supostos crimes de calúnia, difamação e injúria contra a senadora Damares Alves (Republicanos-DF). A 3ª Vara Criminal da Comarca de Fortaleza aceitou a queixa-crime movida pela ex-ministra da Mulher do governo de Jair Bolsonaro (PL), que foi chamada de “bandida nazifascista da quadrilha do Bolsonaro” por Ciro.

O caso que originou o processo ocorreu em 27 de maio de 2020, em uma entrevista concedida pelo pedetista ao canal Portal do José no YouTube. O vídeo não está mais disponível. O juiz Ricardo Nogueira destacou que a decisão é “uma mera admissibilidade da acusação, não cabendo nessa fase processual exame aprofundado do teor dos fatos narrados”.

Em maio de 2023, uma audiência de conciliação foi marcada, mas as partes não chegaram a um acordo. A assessoria de Ciro foi procurada pelo Estadão para comentar o caso, mas não se manifestou.

A partir decisão da 3ª Vara Criminal, no último dia 18, Ciro tem dez dias para responder à acusação.

Em seu perfil no X (antigo Twitter), Damares disse que recebeu a notícia “com muita alegria” e que não tem medo de “coronéis” ou de quem quer intimidar as mulheres “a não participar do processo político”. “Ele vai ter que provar que eu sou ‘bandida nazifascista’”, afirmou em vídeo publicado em sua conta na noite desta quarta-feira, 24.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese