Michelle Bolsonaro critica Lula e Silvio Almeida em evento no Rio: ‘Só tem trabalho pros amigues e os bandides’

Ex-primeira-dama discursou por mais de 40 minutos, disse ser ‘a pessoa mais perseguida do Brasil’. Ex-presidente chegou ao encontro acompanhado de Castro e do pré-candidato à prefeitura do Rio

Michelle Bolsonaro na chegada ao Rio Centro para o evento do PL Mulher — Foto: Reprodução/YouTube

O GLOBO

Em mais uma agenda como presidente do PL Mulher, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro manteve os ataques ao governo do presidente Lula, criticou as viagens e os gastos do petista no exterior, e afirmou ser “a pessoa mais perseguida do Brasil”. O evento organizado pelo partido do ex-presidente Jair Bolsonaro lotou um anfiteatro na Zona Oeste do Rio de Janeiro, com capacidade para receber até dez mil pessoas.

Além de Lula, Michelle voltou suas críticas ao ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida. Sem citá-lo nominalmente, afirmou que a pasta dele agora tem trabalho para “os bandides”, ironizando o uso da linguagem neutra.

— O ministro que se diz ser do ministério Humano, que para mim é desumano, porque é um ministério, é um ministro do “todes”, só tem trabalho pros amigues e os “bandides”. Mas como eu não sou favorável a linguagem neutra, que eles acham que incluem, mas não inclui. O governo que não trabalha para as pessoas de bem. É um governo que não trabalha para todos — discursou Michelle.

Almeida se tornou alvo da oposição após o ministério coordenado por ele ter confirmado que custeou uma das viagens de Luciane Barbosa Farias, mais conhecida como a “dama do tráfico amazonense”, para Brasília. Esposa de Clemilson dos Santos Farias, líder de uma facção criminosa, ela esteve em Brasília em ao menos duas ocasiões e participou de reuniões na Esplanada dos Ministérios. Em nota ao GLOBO, a pasta afirmou que a Luciane foi indicada pelo comitê estadual do Amazonas e que todos os convidados tiveram suas passagens e diárias pagas pelo ministério.

Michelle ainda condenou a saída de ministras mulheres do primeiro escalão do governo Lula. As ministras Daniela Carneiro (Turismo), Ana Moser (Esportes) e Rita Serrano (Caixa Econômica Federal) deixaram seus cargos no primeiro escalão para acomodar novos partidos e aliados do governo Lula.

— Acusavam meu marido de misoginia, mas esse é o governo que trata as mulheres como produto, descartam na hora em que não precisam mais — atacou.

Assim como em outros eventos que tem realizado pelo país, Michelle usou a pauta dos costumes para criticar a gestão petista, celebrou o que considera “vitórias” da direita na última eleição dos conselhos tutelares pelo país, e afirma ter decidido ser “protagonista” na política para lutar contra aqueles que desejam “legalizar tudo que não presta”.

— Eu nem sabia que tinha votação para conselho tutelar. Quanto tempo nós entregamos isso nas mãos das pessoas do mal? E olha o número, olho como a gente se posicionou — destacou Michelle, afirmando que esse espaço era usado para “ataques contra as famílias”.

A menos de um ano das eleições municipais, ex-primeira-dama ampliou o poder no PL e tem atuado diretamente nas decisões sobre a estratégia do partido para o pleito de 2024. Além das viagens nos fins de semana, ela participa semanalmente das reuniões da legenda, em Brasília, que começam a desenhar o cenário eleitoral. Será de Michelle a responsabilidade pela nominata feminina, apontando quais lideranças podem ser indicadas como candidatas.

Castro e Ramagem com Bolsonaro

O encontro regional encheu o anfiteatro do Riocentro, que tem capacidade para receber 3.600 pessoas sentadas, e cerca de dez mil no total. Caravanas do partido de cidades como Quissamã, São Gonçalo, Búzios e Teresópolis foram citadas durantes os discursos. Além de Michelle, outras parlamentares e lideranças do PL Mulher discursaram, como a presidente da sigla no Rio, a deputada federal Chris Tonietto, e a vice-presidente, Amália Barros, e a deputada estadual Índia Armelau.

O ex-presidente Jair Bolsonaro chegou ao evento na reta final, acompanhado do governador Cláudio Castro e do deputado Alexandre Ramagem, pré-candidato da sigla à prefeitura do Rio. Em uma curta fala, repetiu que as eleições de 2022 são “página virada”, e que “perder o jogo faz parte, com

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese