D. Pedro Castelo Branco da Cunha, Visconde dos Pombeiros

O Visconde dos Pombeiros irmão de D. João VI chegou a vir para o Brasil indo para região da Bahia, Piauí, Maranhão e Ceará o (Grão Pará), mas veio a óbito após cntrair uma doença pulmonar, fazendo que o mesmo retornasse para Portugal.

Primeiro Visconde dos Pombeiros. D. Pedro Castelo Branco da Cunha, irmão do rei de Portugal D. João VI, e tio de Dão Pedro I

PHBWebCidade

Editor: Marcos Ranyere Portela da Cunha 

Pedagogo pela UFPI e Psicopedagogo pelo INTA Sobral-CE 

Os Condes de Pombeiro, surgiu em 1620, com o nascimento de D. Pedro de Castelo Branco da Cunha, o 1° Visconde dos Pombeiros. O mesmo era filho legítimo do rei de Portugal, D. João IV, e irmão dos príncipes D. Teodósio e D. Afonso VI. Sendo D. Afonso VI da linhagem do regente futuro D. João VI, pai de D. Pedro I

OBS: Linhagem de D. Afonso VI ( D. Pedro II, João V, Maria I “a louca” e por final D. João VI o pai de D. Pedro I e padrinho de D. José da Cunha Fidié.

O mesmo foi capitão da guarda real de seu pai D. João IV, do príncipe e irmãos D. Teodósio, e por fim do rei D. Afonso VI; 12.º senhor de Pombeiro, 7.º senhor de Belas e de Sanguinhêda, 9.º administrador do morgado de Castelo Branco, junto a Sacavém, comendador de Santa Maria, de Amêndoa, na Ordem de Cristo.

O D. Pedro, veio a falecer no dia  30 de julho de 1675. Teve um filho chamado D. António de Castelo Branco da Cunha, 11.º senhor de Pombeiro, com sua mulher, D. Maria da Silva. D. Pedro Castelo Branco da Cunha chegou a acompanhar seu filho na restauração da Bahia, Piauí (Parnaíba, Piracuruca, Campo Maior e Oeiras), Maranhão e Ceará, os chamados “O Grão-Pará”. E depois de passados de 56 anos no Brasil, D. Antônio Castelo Branco da Cunha veio a óbito em 1695, ao regressar para sua terra natal, Portugal, após contrair uma doença pulmonar, entregando o condado do Conde dos Pombeiros a seu tio, D. Afonso VI agora rei de Portugal.

D. Antônio Castelo Branco da Cunha, era um homem de personalidade forte, tinha muita fibra, formava opinião rápida e era carismático e destemido, conquistando a todos que moravam na província do Brasil. E defendia com “punho de ferro” a província contra os países estrangeiros da época. Principalmente contra França, Holanda e Inglaterra 

O Comandante das Armas, chegou a entrar em atrito com seu avô D. João IV por causa de pesados impostos praticados naquele província; chegando a obrigar seu avô D. João IV a baixar os pesados impostos naquele província. Era respeitado por onde passava, tinha 80% de apoio dos militares. Com isso, apresentando perigo para Portugal e a seu tios, Teodósio e D. Afonso. Contudo, depois de alguns anos voltou para Portugal depois de uma grave doença pulmonar que o levou a óbito, por sorte de Portugal; E azar para os brasileiros que já ensaiavam o início da Independência do Brasil.

CLIQUE AQUI e confira quem é D. Pedro Castelo Branco da Cunha 1° Visconde de Pombeiro

CLIQUE AQUI e confira quem é D. Antônio Castelo Branco da Cunha

Fonte: Professor e Doutor de História da escola Visão, Cobrão, Diocesano e Nossa Senhora de Fátima (das irmãs) de Parnaíba Júlio César de Sobral – CE

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese