Em clássico eletrizante, Vasco é mais efetivo que o Fluminense e leva a melhor pelo Brasileiro

Vitória por 4 a 2 empolga possível reação para fuga do rebaixamento

Praxedes abriu o caminho da vitória — Foto: Lucas Tavares O Globo

O GLOBO

A presença em lados opostos da tabela do Brasileiro não significou nada no equilibrado e animado duelo entre Vasco e Fluminense, neste sábado, no Nilton Santos.

Os times alternaram os bons momentos e a dianteira do placar, o que deu ao jogo muita emoção durante todo o tempo. No fim, melhor para os vascaínos, que competiram mais e foram mais efetivos.

Apesar da vitória por 4 a 2, o drama ainda é do Vasco, que permanece na zona de rebaixamento, mantido na 18° posição, com 20 pontos. Mas o resultado é uma injeção de ânimo para se salvar.

A equipe tricolor, por sua vez, deixa o G-4 momentaneamente. Praxedes, Vegetti e Gabriel Pec duas vezes marcaram para o Vasco. No Flu, Marcelo e Lima descontaram.

O Vasco não vencia o Fluminense há oito jogos, desde o fim de 2019, o jejum mais longo da Série A.

O jogo

Sem Fernando Diniz, suspenso, o Fluminense tentou se impor pela maior qualidade técnica e melhor toque de bola desde o começo da partida, mas encontrou pela frente um Vasco totalmente mobilizado.

A estratégia do time de Ramon Diaz foi alternar momentos de pressão com outros de recuo. Quando não tinha a bola, o Vasco marcava forte. Com ela nos pés, fazia um jogo bastante vertical.

A presença de Rossi como titular foi o diferencial nesse sentido na etapa inicial. No primeiro gol, de Praxedes, Paulinho roubou bola de Cano e fez bela jogada pela direita.

A bola voltou para Rossi, que superou Marcelo e deu assistência precisa para o meio-campo abrir o placar. Foi praticamente a única finalização do Vasco no primeiro tempo.

O Fluminense, além de perder o jogo, perdeu Arias, lesionado, o que comprometeu sua estratégia antes do intervalo.

Na etapa final, Lima entrou em cena e Aleksander passou a cobrir Marcelo. Os dois foram responsáveis pela reação. O experiente lateral acertou belo chute antes do primeiro minuto e empatou.

Em seguida, porém, o Vasco foi cirúrgico outra vez. Em cobrança de escanteio, Vegetti subiu na primeira trave e acertou o ângulo, de cabeça.

A emoção dobrou. Aos 10 minutos, Lima deixou tudo igual. André deu lindo passe vertical para Guga na linha de fundo. Ele cruzou para Lima entrar na área e colocar no fundo da rede.

Aí, Ramon Diaz lançou Pec para explorar os contra-ataques, e conseguiu. A cada jogada do Fluminense, que teve chances com Jhon Kenedy e Martinelli, havia perigo.

Aos 25, Jardim fez bela defesa em finalização de Martinelli. Antes, Kenedy fez um salseiro e errou o alvo, enquanto Cano estava livre á espera do passe.

Com a tentativa de esticar uma bola, Marcelo entregou o ouro novamente. Zé Gabriel lançou Pec, que foi beneficiado por vacilo de André no recuo, e ficou livre na frente de Fábio para virar o jogo.

Havia tempo para mais. Payet, que deu cadência precisa ao time do Vasco, esticou contra-golpe certeiro com passe em profundidade para Puma, que virou o jogo.

Vegetti, novamente ele, aparou de cabeça, e serviu Pec entre os zagueiros para o atacante fazer o quarto gol e dar números finais ao placar.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese