Número de mortos por chuva no Sul sobe para 32

Governo do RS confirmou mais 10 óbitos no estado, que ao todo tem 31 mortos; outro caso ocorreu em SC

Alagamento na cidade de Lajeado (RS), nesta quarta (6) – Diego Vara/Reuters

Folha de São Paulo 

Mais dez mortes pelas chuvas foram confirmadas nesta quarta (6) pelo governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e pela Defesa Civil. Com a morte registrada na segunda (4) em Santa Catarina, subiu para 32 o número de óbitos da tragédia no Sul do país, intensificada pela passagem de um ciclone extratropical sobre o Atlântico.

Foram confirmadas nesta manhã oito mortes em Roca Sales, uma em Lajeado e outra em Estrela, todas cidades do Vale do Taquari, na região central do estado. Formado por cerca de 40 municípios, a região é a mais afetada pelos temporais —com o volume das chuvas, o rio Taquari transbordou e inundou imóveis e estradas.

“Lamentamos cada vida perdida e estamos trabalhando para fazer todos os resgates possíveis nas regiões mais atingidas. Milhares de pessoas já foram salvas por nossas equipes”, escreveu Leite em uma rede social.

Mais três aeronaves devem reforçar o trabalho de resgate de moradores nas regiões afetadas pelas enchentes. De acordo com a Defesa Civil do RS, são aguardadas aeronaves do Exército e dos governos de Santa Catarina e do Paraná. O horário de chegada das novas aeronaves não foi informado.

O governador está sobrevoando as áreas regiões mais afetadas pelas enchentes junto de representantes do governo federal. Ele decolou de Caxias do Sul com o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta, e o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes.

O grupo vai sobrevoar os municípios de Muçum, Roca Sales, Encantado e Santa Teresa. Também haverá visita a abrigos em Lajeado e uma reunião com prefeitos da região e integrantes da Defesa Civil.

Em publicação em rede social na manhã desta quarta, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o governo federal está à disposição dos gaúchos.

Na noite de terça (5), Leite pediu mais aeronaves para atuar no resgate dos moradores. “Estamos em contato com o governo federal para que mais helicópteros sejam incorporados ao grupo de resgate no Vale do Taquari. A noite chegou, a temperatura caiu e há pessoas aguardando por socorro ao ar livre”, escreveu.

Cinco aeronaves já operavam na região, e a expectativa é que pelo menos mais duas cheguem à região nesta quarta para reforçar o trabalho de resgate.

Ainda na publicação que fez nas redes sociais, o governador anunciou que o resgate vai se estender para o Vale do Rio Pardo com o apoio de aeronaves da Polícia Rodoviária Federal, da FAB (Força Aérea Brasileira) e da Marinha, além de helicópteros do Corpo de Bombeiros estadual.

Conforme balanço divulgado pela Defesa Civil no final da tarde desta terça, há no estado 1.650 desabrigados, 2.984 desalojados, 309 residências destelhadas e três casas destruídas.

São 66 municípios afetados, somando uma população de 2,7 milhões de pessoas. As regiões mais afetadas estão entre o centro e a metade norte do Rio Grande do Sul, onde ficam os vales.

CLIQUE AQUI e confira a reportagem

Na terça, cidades do Vale do Taquari amanheceram debaixo d’água, e famílias tiveram que subir nos telhados para escapar da inundação. Em Roca Sales, uma mulher e um bebê foram resgatados içados por um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal.

Ainda no Vale do Taquari, seis pessoas de uma mesma família foram resgatadas de helicóptero pelo telhado da residência, que fica na zona rural do município de Arroio do Meio. A casa foi completamente invadida pela água.

Em Encantado (RS), a Defesa Civil fez um apelo para a mobilização de proprietários de barcos e de motocicletas aquáticas para a retirada de pessoas ilhadas. Também foram feitos pedidos de doação de colchões, cobertores, travesseiros e roupas.

Compartilhe esta notícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese